segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Crítica de Filme - Hércules

Hércules : Poster

O mundo fantástico da mitologia grega é uma fonte que muitos cineastas bebem para lançar seus épicos no cinema e trazer entretenimento para os telespectadores, e ao mesmo tempo, conhecimento de certo modo, mesmo com algumas adaptações passíveis de entendimento, como no caso de Imortais e Fúria de Titãs. Hércules tem a mesma premissa, trazendo a história do icônico personagem da mitologia que dá nome ao filme, mas peca completamente em quase tudo.

Hércules : Foto Kellan Lutz


O filme mostra a história de Hércules(Kellan Lutz), filho da mortal Alcmena(Roxanne McKee) com o deus grego Zeus. Odiado por seu padrasto, o rei Anfitrião(Scott Adkins), vive uma paixão secreta com a princesa Hebe(Gaia Weiss), que por sua vez, tem sua mão prometida ao herdeiro do rei, Ificles(Liam Garrigan). Em uma missão ao Egito, Hércules acaba sendo encurralado com seu amigo Sotiris(Liam McIntyre) pelas tropas de Tarak(Johnaton Schaech), e vendido como escravo, tendo assim que lutar em arenas pela sua vida, o que acaba sendo um caminho para sua liberdade e para a volta à Grécia, e finalmente, o fim de uma ditadura.

Hércules : Foto Kellan Lutz

O longa empolga pelas sequências de luta, o comum uso da tecnologia 3D, e as propositais cenas em slow motion, que dá certa ênfase e profundidade ao filme, mas o roteiro que adapta uma das histórias mais famosas popularmente da mitologia grega, é sem pé e cabeça, e chega a ser bobo. Há muitos furos durante a história, clichês que poderiam ser ignorados, mas estão ali, deixando o conjunto da obra em si grosseiro e caricato. O filme não é uma adaptação, é uma deturpação da história de Hércules, o que deixa o telespectador conhecedor das origens do herói semideus um pouco ofendido por tantas mudanças desnecessárias.

Hércules : Foto Kellan Lutz

Além do roteiro fraco, as mudanças da adaptação foram drásticas e algumas deixam quem vê um pouco confuso. Aqui a deusa Hera permite que Zeus se deite com a mortal Alcmena - o que dá em uma cena constrangedora e péssima -, Hércules viaja para o Egito (?), e não temos nada que nos indique que o protagonista é filho de um deus, a não ser pelas cenas dignas de seriados infantis, no estilo Power Rangers.

Hércules : Foto Kellan Lutz

Outra coisa que fica clara é que não só o diretor Renny Harlin deturpou a história de Hércules, como também fez uma mistura de histórias, chegando a fazer menções indiretas à Jesus e Sansão, ambos da Bíblia. Não é algo explícito, mas dá pra perceber a semelhança dos fatos.

Hércules : Foto Gaia Weiss, Kellan Lutz

O filme vai por água abaixo com as atuações. O papel de Kellan Lutz não exige muito, apenas músculos e expressões faciais de decidido, mas nada de marcante e que convença por completo. Seu interesse romântico, Hebe, vivida por Gaia Weiss, tem uma atuação sofrível, sem nenhuma emoção, e nem quando o momento pede um certo clima, ela consegue escorrer uma lágrima - nem sentir dor. Nem há o que dizer mais sobre o resto do elenco, sem muitos nomes de peso, já que o próprio Kellan veio da Saga Crepúsculo, que não é vista com bons olhos...

Hércules : Foto Kellan Lutz

Com seus 99 minutos de duração, o filme passa voando. Não surpreende, e quando começa a empolgar, decai. Não há subtramas construídas, e o próprio enredo principal é previsível. Depois de tochas que não se apagam debaixo de chuva forte, facadas fatais que não matam, e ainda afrontas à própria física, tudo o que o telespectador pode reter é uma dose de entretenimento barato, e constatar que os épicos mitológicos estão se afastando mais ainda da proposta inicial: apresentar a mitologia.

Hércules : Foto Kellan Lutz

Ainda em 2014, em setembro, teremos outra adaptação de Hércules, intitulado Hercules - The Thracian Wars, vivido agora por Dwayne Johnson. Fica então na expectativa se vai ser mais fiel...

Hércules : Foto Kellan Lutz

***

Ficha do Filme:

Hércules : Poster
Título: Hércules (Hercules - The Legend Begins)
Direção por: Renny Harlin
Elenco: Kellan Lutz, Gaia Weiss, Scott Adkins, Liam McIntyre, etc
Gênero: Aventura, Ação, Épico, Ficção
Nacionalidade: EUA
Lançamento: 7 de fevereiro de 2013
Duração: 1h39min

6 comentários:

  1. Estava muito ansioso por esse filme, mas isso passou antes mesmo de chegar ao fim da sua resenha. Ao contrário de muitos, eu curti bastante “Fúria de Titãs” (estou falando isso mesmo sem “Hércules” ter uma relação próxima além do tema), e ser fã da mitologia grega também contribuiu para o interesse pelo filme, mas tudo tem limite, né? O que é uma pena, já que esse personagem é tão rico que pode ser usado 1001 vezes e sempre terá coisas fantásticas para explorar, se os produtores souberem como explorar, claro.
    Quero passar bem longe desse filme ao saber disso tudo kkkkk

    Abraços,
    Ricardo - www.overshockblog.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imortais e Fúria de Titãs, apesarem de ser adaptações, foram filmes bons sobre mitologia grega, apesar de todos os poréns, pois eles tem um elemento diferencial para atrair o telespectador. Já Hércules, dá a sensação de forçado, chegando a ser cômico. Eu realmente não gostei do filme, e não recomendo. De todos do gênero, esse é muito amador.

      Excluir
  2. Oi Joshua!
    Eu estava bem animada com o lançamento desse filme, mas agora vendo a tua crítica confesso que toda a minha vontade se esvaiu. Não sei o que passa na cabeça desses roteiristas para fazerem coisas como essas. E o pior é que esse não o primeiro e nem o último filme estragado pela viajem na maionese de um roteirista. kkkkkk

    Bjs
    www.booksandmovies.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Eita, que crítica ferrenha. asiuhasiuh
    Você escreve muito bem, Joshua! É ótimo e tranquilizante saber que temos pessoas do seu calibre na blogosfera. Suas críticas foram bem bruscas, escondidas pela polidez do seu vocabulário, e de certa forma eu gostei disso. Pessoalmente, comentando agora sobre o filme, eu não esperava realmente tanto. Kellan Lutz em questão de atuação nunca me surpreendeu e provavelmente nunca o fará, e o cast desse filme não é lá essa coisa toda, vamos ser sinceros. Você repetiu muitas vezes a palavra deturpação, e eu entendo o que quis dizer. Mas, pra ser sincero com você, eu tô tão acostumado com isso hoje em dia, sabe? asiuhaiush Não vou mais com absolutamente ânsia alguma pra assistir qualquer coisa que trate sobre mitologia grega. Existem longas muito, muito bons que trabalham sobre o tema, mas, ao meu ver, a maioria não é lá essas Coca-Colas todas. Pra mim, para se trabalhar com Mitologia num filme moderno, ou você faz uma superprodução profunda e rica, ou você cai num desastre como Hércules do Kellan Lutz.
    Enfim, é uma pena que não tenha curtido tanto, Joshua. Mais sorte aí pro Cinema contemporâneo na hora de se meter em filmar coisas mitológicas. asiuhaush Adorei o seu Blog, rapaz. Adorei mesmo. Tô seguindo ele com todo o prazer. ^^
    Abraços!


    Achou o Quê?:
    http://achouoque.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu não gosto nem um pouco de filmes ( e até mesmo livros) do tipo, cheios de violência e etc.
    Prefiro comédias românticas e aventuras, de uma maneira geral. Não tenho paciência para filmes assim, mas parece ser legal para quem curte.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Não é ruim, mas faltava muito. Eu percebi que, por causa Hercules é uma lenda, a produção iria se esforçar mais no script, mas vejo apenas a parte visual é impressionante. Um elemento que me impressiona é que Dwayne "The Rock" Johnson e seus múltiplos papéis, que vão desde o "mau muscular" para um "pai divertido, mas eu não sei o amor.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...