sexta-feira, 20 de abril de 2012

Resenha: O Mistério do Museu Imperial de Ana Cristina Massa

Jonas é o artilheiro do time da escola. Isa divide seus segredos com a amiga Sofia que está apaixonada por Jonas. Goma, meio-irmão de Sofia, é viciado em Chicletes e usa a imaginação privilegiada para se safar de situações difíceis e ajudar os amigos. 

Numa excursão da escola, eles vão ao Museu Imperial em Petrópolis, antiga residência de verão de D. Pedro II. Notam que algo estranho acontece e voltam para desvendar o mistério.

Mistério no Museu Imperial de Ana Cristina Massa é um livro, só para esclarecer, direcionado ao público infanto-juvenil, basicamente para pré-adolescente, até mesmo pela linguagem que a autora decidiu usar em sua escrita.

O livro relata a aventura em que um grupo de crianças - denominados O Invencíveis - entra após um passeio escolar no Museu Imperial em Petrópolis. Depois que certas coisas estranhas ocorrem no Museu, o grupo decide voltar e investigar tudo, e após certas revelações a história dá muitas reviravoltas e cenas bem legais.

Para explicar melhor, Ana, a autora, escreveu uma história que no início é bem entediante, mas que logo na metade toma ritmo e você não consegue largar mais o livro. O mistério no começo talvez seja meio sem pé e cabeça, mas logo depois tudo faz sentido e a história começa a conquistar.

Os personagens, por sua vez, são bem estruturados e possuem personalidade. Eugênio - apelidado de Gênio - é o líder do grupo Os Invencíveis, e bem inteligente. Na verdade ele por si só resolve o mistério, mas precisa boa parte da ajuda dos amigos, como Isadora, mimada, metida, quer ser a líder do grupo, mas quando vê que suas atitudes são um tanto egoístas, faz tudo pela equipe para resolver o mistério. Jonas é apenas um garoto normal, jogador de futebol da escola e almejado pelas garotas, principalmente por Sofia, esperta e uma amiga fiel. Seu meio-irmão, Goma, no livro serve como alívio cômico, e as vezes é bem engraçado. Os personagens se destacam por si só. A autora criou conflitos entre os personagens, mas no final deixou bem claro que a amizade e o perdão vence tudo.

Enfim, o mistério do livro todo gira em torno de um homem misterioso, sem identidade, que foi visto pela turma no Museu Imperial. Nomeado como Sombra por eles, o homem guarda muitos segredos, e até planos contra o próprio Museu, tudo por uma causa. Mas isso que move o livro: por quê?

A história, em suma, é muito bem bolada, e possui muitos elementos bons que a autora se utilizou dando um bom resultado para o livro. É claro que encontrei pontos negativos em algumas cenas do livro. As vezes a autora fazia com que os diálogos se tornassem meio que vazios, e muitas vezes você não sabia quem estava falando no momento, dificultando o entendimento. Era meio que preciso voltar alguns parágrafos e entender o que se tratava a cena. Não foi um ponto ruim, mas é bom revisar isto. Outro ponto negativo que encontrei foi a própria revisão mesmo. Muitas vezes o traço de identificação de diálogo faltava, e você confundia um parágrafo normal com a fala de um dos personagens. Mas no final, os pontos negativos não foram muitos...

O livro conta com extras bem legais, como a planta do Museu Imperial e toda a área a sua volta, imagens de salas dentro do Museu, como o Gabinete de D. Pedro II, a Sala de Música, a Sala de Estado... uma pintura de D. Pedro II - que é a verdadeira razão para o mistério do livro - e algumas indicações de sites sobre o assunto pela autora.

Enfim, recomendo o livro, mas antes de mais nada, releia o primeiro parágrafo da resenha e tome sua decisão. O livro pode agradar, como também não pode superar as expectativas do leitor, mas é uma boa leitura com certeza.

- O livro é o primeiro volume de uma série intitulada Os Invencíveis. O Mistério do Museu Imperial é seguido de outros dois volume até agora lançados, Enigma na Capela Real e O Segredo do Colecionador.

13 comentários:

  1. Post do dia! Sou fã dos Invencíveis.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha, não sou muito, mas foi uma ótima leitura :D

      Abraços, Joshua

      Excluir
  2. Um livro perfeito para você então manolo. Mas não liga pra isso, sendo infanto ou não, tenho 16 anos, maturidade na leitura e mesmo assim gosto dessa série, principalmente pela empatia dos personagens. Não se encontra muita técnica nem outros atrativos literários num livro como esse, nós sabemos. Contudo é apenas descontração. Eu leio um livro como esse e.. nostalgia da 8 série! Velhos tempos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É né, concordo contigo, mas achei melhor dizer na resenha qual era a faixa etária que o livro era voltado.

      Abraços, Joshua

      Excluir
  3. Não sei se esse foi assim, monótono no início, quer dizer você diz que foi mas Enigma na capela real, só pra constar, eu li 75 páginas de uma só vez! Peguei o livro pra ler, sem nem saber do que se tratava.. e perdi a noção do tempo, sabe?! Devo ter ficado duas horas lendo direto, quando resolvi parar assim tipo: "onde estou?? que horas são?" kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha, mas acho que o monótono que eu disse era apenas uma introdução da autora aos personagens. Isso se deve a eu não estar familiarizado com Os Invencíveis, mas logo a história deu uma guinada e ganhou ritmo :D

      Abraços, Joshua

      Excluir
  4. Ana usa uma técnica especial que eu particularmente achei que deu liga com a história: os próprios diálogos dos personagens dizem quem foi que falou anteriormente. Tem muito disso em Enigma na capela real e foi justamente o que deixou a leitura dinamica. Mas é preciso atenção do leitor para rever os paragrafos. E só em uma página de Enigma na capela real tem um dialogo ambiguo, isto é, o leitor não sabe ao certo quem falou porque cabe na fala de dois personagens ao mesmo tempo, não me lembro qual é. Então, se essa passou aqui neste segundo volume da série deve também ter passado em Misterio no museu imperial.

    Mas de todo jeito, acho essa série maneira, super divertida e recomendo para qualquer leitor na faixa juvenil até 15. E até pra quem já passou do fundamental, ler um livro leve assim e relembrar... é curtir!

    ps: acontece coisas no segundo volume da série, mas não vou contar pra não soltar spoiler. Quem sabe você o lê. E também fica em Enigma na capela real uma "insinuação" do que poderia acontecer, mas no final acaba e a autora não conta. Então achei assim... hey.
    Gostaria de ler o volume 3 e quatro pra saber o que aconteceu e como foi, se genio e isa realmente.. errr... :D

    eipo, parabens pela resenha. Ficou ótima. Posta lá no Skoob tbm.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha, sobre seus últimos parágrafos no coment, eu até já desconfiava. Mas enfim, espero ler o segundo volume, e quem sabe a série toda...

      Abraços, Joshua

      Excluir
  5. Acho que não vou gostar. Mas super gostei da resenha... bem escrita e bastante sincera!
    Beijos

    Tem resenha nova no blog. Passa lá!
    http://pollymomentos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, como eu disse na resenha, talvez não agrade a todos...

      Abraços, Joshua

      Excluir
  6. Alguem sabe quando sai o livro 5 dessa série???

    ResponderExcluir
  7. Amei! Li o " O mistério do Museu Imperial ", e acabei de ler o " Enigma na Capela Real " !! Muito bons! Adoro o Goma super engraçado, acho a Sofia muito legal e o Jonas também...adorei quando eles começam a namorar no " Enigma na Capela Real " . Peguei os 2 livros na biblioteca da minha escola, lá posso levar os livros para casa. Li o primeiro e o segundo livros em apenas 5 horas! Fico tão fissurada no livro que não consigo parar de ler! Espero encontrar as outras 2 edições desse livro, um azul e um verde! AMEI!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...